Excluir Redes Sociais: 7 Motivos para se afastar das redes

Excluir as redes sociais pode ser difícil. Mas, depois de muitos anos viciado na plataforma, decidi finalmente deletar a maioria delas do meu celular.

Eu ainda tenho um perfil profissional em algumas redes, no qual participo do grupo de uma das empresas em que trabalho, mas fora isso, nada de uso pessoal.

Assim que deletei a maioria das minhas redes, vi inúmeros benefícios que não percebia anteriormente, e hoje estou aqui para falar um pouco sobre isso.

DISCLAIMER: Esse foi um texto que escrevi anos atrás para o meu blog profissional. Eu iria deletá-lo, mas achei que o conteúdo era bom e remanejei pro meu blog pessoal. Tenha em mente que esse texto tem um pouco menos de valor literário e é mais focado em “conteúdo”.

Por que excluir as redes sociais?

Veja por que excluir algumas das principais redes sociais:

1. Por que excluir o Instagram?

As pessoas só mostram a vida que querem no Instagram, além de ficarem se comparando com expectativas irreais. Por isso, excluir o Instagram pode ser uma forma de preservar sua privacidade e preservar a sua saúde mental, evitar a comparação social e a busca por uma vida de mentira.

2. Por que excluir o Twitter?

O Twitter é um local com muitas discussões políticas, brigas tóxicas e desinformação. Por isso, excluir o Twitter pode ser motivado por questões como como o excesso de informação, a divulgação de notícias falsas e a exposição a discursos de ódio.

3. Por que excluir o TikTok?

O TikTok é cheio de vídeos viciantes que te faz querer ficar preso nele o dia todo. Eu diria que é a rede social mais viciante. Fique longe a todo custo!

4. Por que excluir o Facebook?

Excluir o Facebook pode ser motivado por questões relacionadas a discussões políticas, a exceço de informações e à preservação da própria privacidade. É uma rede com muitas discussões bobas e negatividade.

7 Motivos para Excluir as Redes Sociais

Veja os principais motivos que separei para excluir as redes sociais

1. As amizades nas redes não são reais

O Facebook mudou o nosso conceito de amizade como algo ativo para algo passivo.

Assim, ao invés de cultivarmos amizade através de conversas e proximidade, sempre ajudando como podemos, basta adicionar alguém para nos considerarmos amigos. Não precisamos fazer nada: com o apertar de alguns botões, fazendo meia dúzia de amizades por dia e começamos a receber atualizações aos montes.

De todos os seus amigos no Facebook, você sabe de verdade como 10% está? O que está acontecendo com a vida deles? Muito provavelmente, você só vê o melhor de suas vidas, que eles fazem questão de compartilhar nas redes sociais.

Isso gera um bando de relações, mas sem profundidade nenhuma. No entanto, a humanidade sempre baseou-se em pequenas e fortes relações.

Se esse é o caso, você pode tomar uma das medidas como excluir aquelas pessoas com quem você não se importa.

2. Você perde muito tempo

Algo fácil de se notar logo nos primeiros dias é o ganho de tempo livre ao se livrar da minha antiga conta.

As redes nos dão um grande fluxo de informação e acabamos perdendo horas e horas descendo a linha do tempo. São horas e horas que perdemos na frente do celular todos os dias.

Por exemplo: eu impunha um limite de 10 minutos diários da rede social, mas me via burlando essa imposição, mesmo com a ajuda de aplicativos, para terminar de ler algum texto interessante.

No meu caso, eu precisava de uma medida drástica e a desativação foi minha solução.

Sendo assim, se você tem algum objetivo, tópico de estudo ou empreendimento em mente, o uso contínuo das redes sociais pode acabar com sua produtividade.

3. Você fica mais extremista nas redes

De fato: não podemos negar que existem muitas pessoas e páginas com conteúdo interessantíssimo na plataforma.

No entanto, temos que tomar cuidado com a leitura de textos pelas redes sociais, pois as posições são sempre muito inflamadas e acabamos muitas vezes tomando partido de um lado, nos tornando agressivos com qualquer opinião contrária.

Basta lembrar da confusão que sempre acontece nas eleições: brigas familiares, amizades desfeitas e até problemas no trabalho.

Isso significa que devemos nos fechar para estas discussões? De forma nenhuma.

No entanto, ao invés de vestirmos a opinião que nossa página favorita ou de nosso guru intelectual, porque não procuramos abordar a questão da melhor forma possível: devagar, aprendendo aos poucos até poder ter realmente uma visão concreta do assunto?

Vou fazer um questionamento, seja sinceros: quando você fica sabendo de alguma notícia, você procura aprender sobre o assunto ou vai ler o que sua página favorita falou sobre o assunto?

Pois é, todos sabemos que a segunda opção é a preferência de 99,99% das pessoas, e temos que evitar esse tipo de comportamento, que é amplamente encorajado nos dias de hoje.

4. Achamos que somos mais inteligentes do que realmente somos

Todos temos que ter opinião sobre tudo, e muitas vezes o mais sensato a fazer é admitir: “eu não sei o suficiente, vou procurar estudar”.

Quem gosta de ler sobre política, economia, ideologias, etc. acaba virando um discutidor profissional, estampando a bandeira da opinião A, B ou C no peito e lutando contra tudo e todos que vão contra seu pensamento.

De fato: o pior de tudo é que nas redes sociais mostramos nosso lado mais extremo e arrogante: acabamos vendo tudo com uma visão altamente tendenciosa, onde tudo se resume à direita contra esquerda, machista contra feminista e coisas do gênero.

No entanto, na vida real, as pessoas são bem diferentes: se você der uma opinião pra alguém e a pessoa discordar, dificilmente ela vai te xingar na cara.

Sendo assim, o que vemos das pessoas nas redes sociais são só suas partes mais extremas e politizadas.

Ou seja, acabamos ficando com um pé atrás de muitos conhecidos, quando na verdade as opiniões políticas deles são pouco ou nada relevantes em muitos casos de nossas vidas

Dessa forma, as discussões nas redes fazem com que pareça que estamos em uma guerra interminável, que somos bastiões da verdade.

Travamos uma batalha interminável que não dá em nada. Por isso preferi me desligar disso tudo e buscar ver as pessoas como elas são.

5. O excesso de informação

Dizem que se informar é importante, mas informação demais pode nos deixar confusos e ansiosos – e as redes sociais fazem muito isso.

O overloading de informação é real. Somos bombardeados com informações sobre todos os assuntos que eu não conseguia focar em aprender direito uma só coisa. Do contrário do que se fala atualmente, fazer 30 coisas ao mesmo tempo e deixar tudo inacabado não é algo bom, é melhor manter o foco nas principais

E não podemos fazer isso com notícias de violências, protestos e coisas do gênero pipocando em nossos olhos.

Entretanto, alguns podem argumentar que, ao desativar nosso Facebook, ficamos sem uma importante fonte de informação e podemos ficar mais ignorantes.

Nunca antes tivemos acesso a esse montante de informações e, no entanto, sempre tivemos pessoas inteligentíssimas em todas as épocas.

De fato: muitas vezes vi informações valiosas sobre filosofia, educação, ciência, economia, só para depois deixá-la de lado e nunca mais buscar sobre.

Por fim, acabamos nos distanciando dos nossos assuntos de interesse e lendo superficialmente um monte de textos que pouco nos servirão. As notícias aparecendo a todo momento acabam aumentando nossa dispersão.

6. Você perde a sua privacidade

Você já falou com um amigo sobre determinado assunto e, cinco minutos depois, um anúncio relacionado ao que você falou apareceu?

As redes rastreiam o que conversamos, o que falamos e nossos interesses na internet. Com o WhatsApp e o Messenger, eles têm acesso a todas as suas conversas mais privadas, seja por áudio ou por escrito. Com o Instagram, eles têm acesso às suas fotos e detalhes sobre os locais que você vai, do que você gosta e mais.

Por fim, com o Facebook eles sabem sua rede de conhecidos e o que você pensa sobre vários assuntos Imagine se eles quiserem abusar desse poder?

7. Você não precisa das redes sociais

Você já se perguntou como o Instagram ou o Facebook adentraram tanto na sua vida ao ponto de você ter medo de perder o seu perfil?

Depois de uma ou duas semanas, muitas pessoas acabam deixando de sentir falta do uso das redes sociais e acham outros hobbies mais úteis.

Por mais que, nas redes, você tenha parentes distantes, conhecidos, pessoas que vimos pessoalmente uma ou duas vezes… Não nos importamos tanto com eles.

Pense comigo: com quantas pessoas do seu Facebook você realmente se importa? Será que vale a pena manter contato com tantas pessoas aleatórias?

Por que você não faz um teste? É possível desativar Facebook indo nas configurações. Depois de umas semanas, você perceberá que está menos ansioso e gasta menos tempo com a internet.

2 comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *